Shopee e AliExpress disputam pelo e-commerce no Brasil

De olho no crescimento do comércio eletrônico, o AliExpress, do grupo chinês Alibaba, e a Shopee, de Cingapura, estão expandindo suas operações no Brasil.

Ambas as empresas estão criando novas soluções para os consumidores e dando mais atenção aos entregadores locais. As empresas estão concorrendo mais de perto, assim, com players nacionais, como Magazine Luiza e Mercado Livre.

“É o efeito globalização no consumo impulsionado pelo aprendizado e crescimento do comércio eletrônico aqui no Brasil. A chegada de empresas estrangeiras, principalmente asiáticas, mostra o potencial do e-commerce.”

Os brasileiros experimentaram e curtiram as ofertas asiáticas e para os comerciantes brasileiros abrem alternativas frente aos tradicionais marketplaces. Mais uma mostra de que os modelos tradicionais de negócios estão sendo testados diariamente. Por anos, investidores, especialistas e empresas brasileiras temeram uma grande investida de companhias asiáticas no e-commerce local.

História AliExpress e Shopee

O chinês AliExpress desembarcou no Brasil há dez anos. Já a Shopee chegou há dois anos. Até aqui, no entanto, o avanço delas havia sido um tanto quanto devagar. Então nos últimos tempos esse cenário começou a mudar.

AliExpress e Shopee vêm ampliando suas atuações no país. Entre as principais novidades das empresas no Brasil estão a redução do prazo de entrega de produtos, a abertura da plataforma para lojistas brasileiros e um investimento pesado em marketing que fez até o ator Jackie Chan falar português.

Ambas tentam atacar um mercado que faturou R$ 87,4 bilhões em 2020. Mas, mais do que o passado, elas estão de olho no potencial futuro desse mercado. Porém para a empresa de pagamentos Visa, o volume nacional de transações no e-commerce deve chegar a R$ 171 bilhões até 2023.

VEJA TAMBÉM: INVESTIMENTOS EM ARMAZENAMENTO EM NUVEM

Como Crescer seu e-commerce

Com onze anos de atuação local, o Brasil já está entre os cinco maiores mercados do AliExpress, segundo estudo. Já a Shopee, apesar de chegar ao país apenas em 2019, já alcançou o marco de app de e-commerce mais baixado no Brasil, segundo o site de monitoramento de downloads App Annie.

É importante lembrar suas origens.

O Alibaba começou como espécie de classificados online, em 1999, e foi crescendo junto da popularização da internet na China. Portanto seu braço de comércio eletrônico internacional, o AliExpress, surgiu em 2010 mesmo ano do desembarque da empresa no Brasil. Como até então era focado no mercado asiático, nos primeiros anos de operações internacionais, o Alibaba teve que entender e adaptar seus serviços para o mercado ocidental.

Já a Shopee faz parte do grupo Sea, que nasceu a partir da empresa de jogos Garena. O negócio foi criado por chineses em 2009. O sucesso da produtora e distribuidora de jogos permitiu que seus fundadores expandissem para o crescente mercado de e-commerce.

Então a Shopee foi lançada em 2015 e em 2017 as duas marcas foram unidas no grupo Sea. Em conclusão a holding abriu seu capital na Bolsa de Nova York no mesmo ano.

Crescimento e estratégias e-commerce

A diretora global de engajamento com merchants no Ebanx, aponta que os e-commerces asiáticos seguem um padrão em sua expansão. Primeiro, conquistam seus países de origem, depois outros países da região. Portanto o terceiro passo é atacar mercados emergentes de grande crescimento para além da Ásia – e o Brasil está entre os países mais interessantes. ARQUIVOS GTA BRASIL AQUI

Um dos apps mais baixados A plataforma de comércio eletrônico Shopee tem, hoje, um dos aplicativos de compras mais baixados do Brasil. Certamente diferentemente da concorrente chinesa, que demorou 11 anos para se abrir ao mercado local, ela fez isso já após o primeiro ano por aqui. Whatsa Imuni aqui