Facebook é prejudicial para usuários indica pesquisa

Um vazamento recente prejudica a imagem do Facebook. Uma pesquisa feita internamente aponta que a rede social causa prejuízos a mais de 10% dos quase 3 bilhões de usuários. Os detalhes da pesquisa obtida pelo The Wall Street jornal aponta que a rede social é prejudicial para uma a cada oito pessoas.

Isso equivale a 12,5% ou 365 milhões de usuários da rede social que tem quase 3 bilhões de cadastros. A descoberta é resultado de uma investigação conduzida internamente pela empresa.

Entre os prejuízos causados estão dificuldades para dormir, problemas em relacionamentos, no trabalho, com os filhos e familiares. A principal causa seria uso compulsivo ou vício no Facebook. Segundo os investigadores a rede social é mais prejudicial do que o Twitter e o Instagram.

Ambas as redes pertence à mesma empresa que agora se chama Meta. A conclusão da pesquisa é de que muitos utilizadores passam muito mais tempo no Facebook do que o esperado.

Isso faz com que deixem de fazer tarefas diárias para checar as notificações da rede social por exemplo. Causando procrastinação de atividades importantes do dia a dia. A vice-presidente de pesquisa da Meta disse que o intuito desse tipo de pesquisa é justamente entender os possíveis problemas causados pelo Facebook nos usuários, para assim encontrar melhorias. Para tentar solucionar o problema e diminuir os danos causados.

O Facebook acusou o jornal The Wall Street de ter escolhido apenas os documentos negativos para denegrir a empresa. E afirma que os resultados indicados são de maio de 2019. Mesmo assim segundo a Meta a pesquisa sugere que o Facebook não tem um grande impacto prejudicial no bem-estar dos usuários.

Leia+ Dados da Twitch vazam e revela pagamento de Streamers

Facebook investe mais de US$7 mi em líderes de comunidades

Já há algum tempo que o Facebook tem a intensão de investir em grupos e comunidades dentro da plataforma. Então a ideia é não ficar tão dependente da interação dos usuários em sua linha do tempo. Por isso em teoria essas frentes podem aproximar melhor as pessoas e evitar discussões tóxicas na rede social.

Fazendo isso o engajamento seria de muito mais qualidade e valor para as pessoas que interagem. Causando menos impacto negativo na vida das pessoas que usam diariamente o Facebook.

Certamente o intuito é financiar lideres em todo o mundo para ajudá-los a impulsionar o poder das suas comunidades. Transformando ideias em ação. Por isso para participar do programa basta fazer a sua inscrição que ficará aberta até 31 de maio.

Veja Também: Netflix vale a pena assinar?

Duração do programa

O programa vai funcionar por seis meses. Fornecendo treinamento, mentoria e financiamento. Mas o investimento inicial será de US$ 3 milhões e serão permitidos apenas 80 participantes.

Beneficio abeto apenas para comunidades na qual os líderes são maiores de 18 anos. Por isso necessariamente precisam morar no Brasil, Estados Unidos, Austrália, Filipinas, Indonésia, Tailândia, Reino Unido, França, Alemanha, África do Sul, Quênia, Nigéria e Egito.

Então as comunidades devem existir a mais de 1 ano, seja ela online ou offline, e ter no mínimo 5 mil membros. Então para participar basta se inscrever pelo próprio site do programa. Gb Whatsa Secun media fire

Vale ressaltar que quem participou da edição de 2020 do Aceleradora de Comunidades não podem se inscrever para essa edição. No entanto os participantes de outros programas do Facebook podem se inscrever. Desde que atendam aos pré-requisitos. Gb Whatsa secun via mega